Supershake da Floresta Amazônica_Crédito Felipe Morozini (1)

Mazô Maná lança shake amazônico

Foto: Mazô Maná

A Mazô Maná fecha o ano de 2023 lançando seu primeiro produto no mercado: um shake amazônico que mistura açaí, babaçu, cacau, cajá, camu-camu, castanha-do-pará, cogumelos, cumaru, cupuaçu, graviola, murici, pimenta cumari e pupunha.

O produto já chega chancelado por dois chefs de cozinha famosos, que integram o conselho da Mazô Maná: Bela Gil e Alex Atala. E está à venda no ecommerce da empresa e também no Mercado Livre.

A inovação em relação a produtos similares, destaca Marcelo Salazar, idealizador da Mazô Maná e co-CEO, está no impacto para associações dos povos tradicionais que a empresa busca com seu modelo. 

Além da compra de ingredientes, a empresa está em busca de projetos de PSSA (Pagamento por Serviços Socioambientais) para os territórios onde atua, e deixou separado no captable 10% da empresa para povos tradicionais, por meio de parcerias a serem contratadas com instrumentos jurídicos que protegem as comunidades e com a calma necessária para que elas compreendam o arranjo e fiquem confortáveis com o modelo. 

A modelagem conta com a assessoria direta do SBSA, escritório de advocacia com área especializada em negócios de impacto, como parte de seu projeto Contratos Justos. 

A intenção é trazer um benefício adicional a essas comunidades, abrindo oportunidades para modelos alternativos de parcerias que possam gerar recursos adicionais e aprendizados no médio prazo. Para avançar nessa frente, a startup segue em conversas com alguns grupos na região da Terra do Meio, berço onde nasceu. 

A Mazô Maná pretende que o shake e demais produtos alimentares desenvolvidos sejam uma das diversas fontes de receita. A startup tem prestado consultorias e desenvolvido parcerias com empresas e ONGs  na Amazônia, como desenvolvedoras de projetos de Serviços Ambientais e Carbono e busca caminhos para que esses projetos sejam realizados no tempo das comunidades, com o devido processo de informação e consulta, com contratos justos e envolvendo os parceiros dessas comunidades. 

Marcelo Salazar esteve na COP-28 em Dubai, participando de diversas agendas de movimentações do mercado de carbono, PSSA e sistemas alimentares, incluindo articulações no rumo da COP-30, que ocorrerá em Belém-PA.

AMAZ realizou oficina com a startup em Altamira

Em maio deste ano, a AMAZ, juntamente com a Mazô Maná e Simbiótica Finance, realizou uma oficina em Altamira como parte da jornada de aceleração de 2023.

Duas frentes foram foco deste encontro: o início de uma articulação para construção de metodologia alternativa e outros caminhos para PSSA não limitada a carbono, mas sim levando em conta a proteção integral do território por povos originários, ribeirinhos e quilombolas; e a estratégia da Mazô Maná na relação com fornecedores comunitários, como a que está sendo desenvolvida com  Rede de Cantinas da Terra do Meio, definida a partir de comércio justo com busca de recursos adicionais a partir de toda a valorização do modo de vida da comunidade.

A modelagem de negócios da Mazô Maná foi o catalisador para a realização da oficina, que reuniu também outros parceiros como iCS (Instituto Clima e Sociedade), SBSA (Szazi, Bechara, Storto, Reicher e Figueiredo Lopes Advogados), Bia Saldanha, Esteban Walther (advisor e investidor da Mazô) e Idesam (Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia).

O grupo visitou a sede da Mazô Maná e participou de uma expedição, organizada em parceria com a startup, que incluiu uma visita à sede do negócio em Altamira, ao galpão das Associações da Resex da Terra do Meio e também a uma das comunidades parceiras da Resex Rio Iriri. Alguns dos ingredientes do primeiro produto da Mazô Maná são provenientes da região, e os participantes da expedição puderam conhecer in loco uma das unidades de beneficiamento dos produtos e provar em primeira mão o super shake da florestas da Mazô Maná.

Tags: Sem tags

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *